Cães (ou cadelas) e sua prole

Caso você esteja tendo um dia ruim, aqui tem uma compilação de fotos de filhotinhos sendo cuidados por suas mamães ou papais! 😀

blog1 blog3 blog4 blog5 blog6 blog7 Evernote Camera Roll 20140723 155404 (1) Evernote Camera Roll 20140723 155404 JoeyTrebbiani tumblr_inline_n9rpooOegJ1r8a0rs

Anúncios

Cuidados com cachorros durante o calor

blog1

Fizemos recentemente um post sobre os cuidados especiais que os gatos precisam durante o calor. Porém, esse clima também castiga os nossos amigos caninos. Assim como nos humanos e felinos, as altas temperaturas podem causar queda de pressão, diminuição do apetite, insolação e desidratação.

É muito importante manter o cãozinho hidratado. Mantenha o bebedouro na sombra, sempre reabastecendo com muita água fresca. Muita gente gosta de colocar um ou dois cubos de gelo na água do cão no fim da tarde, para que ela se mantenha fresquinha durante a noite.

blog4

É impescindível que, durante o dia todo, haja um lugar arejado e com sombra, para eles descansarem. Assim como nós, eles não podem passar muito tempo embaixo do sol. Inclusive, em passeios, prefira percursos pela sombra ou horários em que o clima fique mais ameno, como o início da manhã, o fim da tarde ou as noites.

Evernote Camera Roll 20140723 155404 (1)

 

 

 

Evernote Camera Roll 20140723 155404

Cão de Crista Chinês

Em cães de pelo grande, é altamente recomendado que sejam feitas tosas para diminuir o volume e, consequentemente, diminuir o calor dos nossos amigões. Já em cães de raças sem pelos, como o Cão de Crista Chinês e o Pelado Mexicano, é necessário o uso de protetor solar, pois o sol agride muito facilmente a pele desses bichinhos. Prefira produtos especificamente para animais, pois os de uso humano podem causar alergias em alguns cachorros.

blog3

Pelado Mexicano

Gato no calor: cuidados redobrados!

Os gatos possuem uma temperatura corporal mais alta que a dos humanos, podendo chegar a 39,2 graus. Ainda assim, eles sofrem muito com o clima mais quente. Os bichanos tem o corpo coberto de pelos (exceto gatos da raça Sphynx ou pelado canadense) que funciona como um casaco, tornando sofrida a relação desses bichinhos com o calor. O clima quente pode gerar falta de apetite, diarreia e até mesmo desmaios causados por uma queda de pressão. Por isso, são necessários cuidados especiais com esses bichinhos.

Gatos de pelos longos como o persa podem ser tosados, para aliviar a temperatura deles. A tosa geral (que retira todos os pelos) pode causar desconforto aos felinos. Por isso, é recomendado que seja feita apenas uma redução no volume dos pelos.

img9 img3

Atenção! Gatos sem pelos, como da raça Sphynx, também sofrem muito com o calor. É essencial o uso de protetor solar para proteger a pele deles, que costuma ser muito sensível. Existem bloqueadores solares especificamente veterinários, pois o uso de produtos para humanos pode gerar alergia nesses animais.

blog3

Gatos da raça Sphynx ou Pelado Canadense

É muito importante estimular os gatos a beberem água. Gatos são muito tendenciosos a problemas renais, portanto a ingestão de grandes quantidades de água é fundamental para manter a saúde deles. Para estimulá-los a beber água, deixe água fresca à disposição o dia inteiro. Prefira recipientes de barro ou vidro, que mantenham a temperatura da água mais baixa. Conforme dissemos no post sobre a seca, muitos gatos gostam de beber água em movimento. Portanto, é interessante providenciar uma fonte, um bebedour específico que mantenha a água corrente ou até mesmo um fiozinho d’água em uma torneira.

blog1

Os banhos são mais indicados para gatos de pelo longo, que podem acumular nós e, pela quantidade de pelos, terem mais dificuldade de se limpar. Mas é ideal que os pelos sejam escovados pelo menos uma vez por dia, para remover os pelos que caem e evitar que eles engulam uma quantidade muito grande de pelos ao se lamberem.

blog4

Assim como os humanos, os gatos comem menos no clima quente. Mantenha a ração crocante e fresca, não enchendo muito o pote para que ela não perca o cheiro. Assim, os gatos permanecem interessados por ela. É importante também guardar a ração em algum lugar fechado, fresco e limpo, para que os grãos não oxidem nem fiquem com um aspecto e cheiro de velhos.

Em breve, um post sobre os cuidados com seu cãozinho no calor! 😉

Mudanças físicas das raças de cães nos últimos 100 anos

Devido ao crescimento do comércio de cães, os seres humanos começaram a interferir na aparência física desses animais. Sem pensar nas consequências para a saúde dos bichos, modificações estéticas foram feitas por criadores de cães para tornar os animais mais atléticos e bonitos. Porém, isso resultou em complicações para os animais, que se tornaram mais propensos a alergias, problemas respiratórios, dermatológicos, ósseos, etc.

Essas fotos datadas de 1915, que mostram a antiga aparência das raças que foram mais modificadas, comparadas à atual aparência de cães dessas mesmas raças.

Por isso, é importante questionarmos quão válido é o comércio de pets. Será mesmo necessário e digno comercializar animais de companhia? Será justo contribuir para um comércio que modifica e seleciona animais por aparência, ainda que isso lhes custe sua qualidade de vida?

#AmizadeNãoSeCompra

 

giphy

São Bernardo


giphy2

Buldogue Inglês


giphy3

Basset Hound


giphy4

Bull Terrier


giphy5

Boxer


giphy6

Dachschund (salsichinha/cofap)

 

A erva do gato – mitos e verdades

O nome científico  dela é nepeta cataria, popularmente conhecida como erva do gato, erva-gato ou catnip (em inglês). Muitas pessoas, por não conhecerem muito sobre essa planta, acabam fazendo um mau julgamento dessa plantinha, mas na verdade ela é amplamente recomendada pelos especialistas.

blog4

A ERVA DO GATO VICIA? Não. Muitos especialistas usam e recomendam o uso de erva do gato justamente por não ser viciante e não provocar efeitos colaterais. O que dá o efeito estimulante é o cheiro da Neptalactone, substância presente nas folhas da erva-gato. Nenhuma quantidade dessa substância fica armazenada no corpo do gato e, portanto, eles não ficam dependentes dela.

A ERVA DO GATO É EQUIVALENTE A UMA DROGA? Não. A erva do gato tem efeito calmante e terapêutico. Ela não apresenta nenhum efeito tóxico. É um produto natural e saudável.

O QUE A ERVA DO GATO CAUSA? A Neptalactone, substância presente nas folhas da erva, estimula os receptores olfativos. É comum encontrar as folhas da erva desidratadas e moídas, de modo a manter o cheiro da substância. Você pode também encontrar sprays com a fragância da erva, que também funcionam da mesma maneira.

QUANDO O USO DA ERVA DO GATO É RECOMENDADO? Para disciplinar ou divertir. Por exemplo, é comum que seja aplicada a erva do gato no arranhador ou no poste de arranhar, para que o gato se atraia pelo cheiro e evite destruir móveis e cortinas. Muita gente gosta de aplicar a erva em brinquedos, para que o gato desenvolva uma afeição por determinados objetos. Também é feita a aplicação em camas e almofadas, para que o gato entenda que ali é onde ele pode dormir.

POR QUE A ERVA DO GATO NÃO FAZ EFEITO NO MEU GATO? Os gatos tem características individuais e preferências tão diferentes quanto pessoas. A erva do gato tem mais probabilidade de fazer efeito em gatos machos, adultos, não-castrados. Mas não é uma regra absoluta e muitas fêmeas, filhotes e gatos(as) castrados(as) apresentam uma afeição pela plantinha. O único modo de saber é testar comprando um brinquedo com catnip ou utilizar a própria planta ou um spray. Um efeito parecido pode ser obtido com o cheiro de hortelã, manjericão e azeitona. Mas atenção: a ingestão desses produtos não é aconselhada para gatos, pois pode causar diarreia e outros problemas gástricos.

giphy

CHEGA DE LAMBIDAS!

giphy3

Cachorros lambem para provar o sabor das coisas, para limpar as partes de seu corpo e de seus filhotes e para demonstrar afeto. Com certeza você já ouviu dizer que a lambida é o “beijo” canino. Mas alguns cães desenvolvem a chamada COMPULSÃO POR LAMBEDURA. Esse problema pode ser físico (nutricional, hormonal, etc.) ou comportamental. Um médico veterinário deve ser consultado para fazer o diagnóstico correto.

Caso o problema seja comportamental, é preciso ver o que desencadeou essa compulsão. Algo que tenha alterado a rotina do cão: chegada de um novo bicho em casa, nascimento de um bebê, falecimento de um familiar, mudança de casa, redução no número de passeios, etc. É preciso que o tratamento seja direcionado a partir dessa identificação do problema. Muitas vezes, é aconselhado que seja feita uma repreensão do comportamento (ATENÇÃO! Toda repreensão deve ser feita sem violência. Agressão a animais de qualquer espécie é crime!).

O aumento nas atividades do cão e a compra de brinquedos inteligentes, que exijam a atenção e concentração, também pode ajudar a extravasar o estresse e distrair o cão da compulsão.

giphy

FERIDAS NA PELE

Compulsão por lambedura não é brincadeira! Exige muita atenção e cuidado desde o início, pois pode gerar uma dermatite por lambedura. São feridas causadas por uma inflamação que a saliva e o atrito constante da língua com a pele proporcionam. Essas feridas podem ficar extremamente graves e doloridas e por isso devem ser tratadas o mais rápido possível. Inclusive, a reprodução de células para recuperação da pele pode aumentar as chances de câncer de pele.

OBSERVAÇÃO: ESSE ARTIGO NÃO SUBSTITUI A CONSULTA AO VETERINÁRIO. EM CASO DE QUALQUER ALTERAÇÃO COMPORTAMENTAL, UM PROFISSIONAL CAPACITADO DEVE SER CONSULTADO.

giphy2

COMO OS GATOS SABEM O CAMINHO DE VOLTA?

giphy2

Essa é uma questão que intriga muita gente e chega a despertar teorias mirabolantes como a de que os gatos possuem habilidades extrassensoriais. Caso contrário, como saberiam direitinho o caminho de volta pra casa, mesmo depois de passear por lugares aonde nunca estiveram? A resposta para essa pergunta é mais simples do que parece: por meio da memória visual e a memória olfativa.

MEMÓRIA VISUAL

Os gatos tem uma capacidade impressionante de memorizar o ambiente aonde moram. Conseguem guardar a imagem de praças, prédios, árvores e, assim, basta encontrar algo que reconhecem para assim, se localizarem. A partir dali, podem tranquilamente fazer o caminho de volta ou explorar novos lugares, sempre se lembrando por onde vieram.

MEMÓRIA OLFATIVA

Outra habilidade muito aguçada dos gatos é a de memorizar cheiros. Reconhecem o cheiro de lugares, pessoas e outros animais e, assim, sabem se estão perto de casa ou por algum lugar que já passaram em algum outro dia. Eles podem se guiar pelo olfato mesmo se estiverem em algum lugar em que não conseguem enxergar nada conhecido.

Casas, ruas, bairros, regiões e cidades possuem combinações de cheiros específicos. Assim, se um gato se perde, ele pode identificar um odor conhecido e seguir até uma localidade que ele conheça e utilizar a memória visual para completar o restante do percurso.

Mesmo um gato que não sai de casa pode reconhecer a localidade de onde mora pelos cheiros. Muitas vezes, o vento os odores de fora de casa. Ventos de diferentes direções carregam diferentes cheiros, possibilitando ao gato construir uma rica memória olfativa mesmo sem ter saído de casa.

giphy

LONGE DE CASA

Existem muitos casos em que gatos passam muito tempo longe de casa. Isso pode ocorrer por motivos variados. Um deles é que o gato tenha múltiplos donos. Um gato que saia muito de casa e frequente sempre os mesmo lugares pode acabar fazendo amizade com outros humanos, que colocam comida e água para ele. Então o gato passa o dia visitando várias casas que já estão acostumadas com sua presença. Se alguma dessas pessoas resolve prendê-lo dentro de casa para evitar que ele se machuque ou se perca, as pessoas das outras casas podem pensar que ele se perdeu ou morreu. Mas basta que o bichano fuja ou seja liberado para um passeio que ele aparece de novo em casa. Por isso é importante que o gato tenha uma coleira de identificação com todos os dados de casa, como telefone e endereço.

Além disso, é também possível que um gato de hierarquia maior restrinja o acesso de outros gatos a determinados territórios. Se a casa do gato estiver dentro desse território, ele terá que frequentar outros lugares até que o dono do território morra ou perca seu trono para algum outro felino.

Por que os filhotes nascem com olhos e ouvidos fechados?

Por que os filhotes nascem com olhos e ouvidos fechados?

 

Já se perguntou o motivo de os filhotes de cães e gatos nascerem com os olhos e ouvidos “colados”?

Isso acontecem pois eles são animais com padrão de desenvolvimento “altricial”. Significa que eles nascem imaturos e extremamente dependentes dos cuidados da mãe.

Quando eles nascem, muitas partes do corpo ainda estão em formação, e o desenvolvimento dessas partes ocorre algumas semanas após o nascimento.

O cérebro, por exemplo, não está completamente formado. Esse é o motivo para a coordenação motora dos filhotes de cães e gatos ser tão limitada.

Os olhos ainda estão em formação, também. Eles permanecem fechado após o nascimento para que não sofram exposição ao ambiente externo. Os olhos dos filhotes são muito frágeis e poderiam ser danificados com a luz.

 

Além disso, seus ouvidos também nascem fechados. Isso acontece porque o aparelho auditivo também não nasce prontinho. Os filhotes precisam de silêncio para que se formem de maneira adequada, visto que os barulhos muito fortes perto de uma ninhada podem prejudicar a formação do aparelho auditivo e, consequentemente, a audição do animal ao longo de sua vida.

Os olhos e canais auditivos se abrem com aproximadamente duas semanas de vida. Os ouvidos funcionam perfeitamente depois de uma semana abertos, mas os olhos demoram algumas semanas para enxergar perfeitamente.

Cuidados com seu pet no frio

Cuidados com seu pet no frio

 

Fique atento! Nesse frio é muito importante cuidar do seu pet!

Roupas

Mantenha seu pet com algum tipo de roupinha. Os cães e gatos de pelo muito curto, especialmente, precisam de uma roupinha quando o tempo está frio. Hoje em dia há modelos para todos os gostos.

 

 

 

50 dos mais importantes gifs de cachorros de todos os temposUm lugar quentinho

Dê ao seu animal acesso a um lugar quentinho, com algo que o mantenha longe do chão frio (como uma caminha), com cobertor ou manta, onde ele possa ficar quando estiver com frio.

 

50 dos mais importantes gifs de cachorros de todos os tempos

Meias

 As patas acabam ficando muito mais frias que o resto do corpo.

Não recomendamos colocar aquelas botinhas com solado em animais que não estejam acostumados, pois conhecemos os riscos de torções e fraturas. Entretanto, hoje existem meias que se adaptam ao formato do pé do seu bichinho sem risco de machucá-lo. Alguns animais têm dificuldade de se acostumar, mas não custa nada tentar.

 

 

 

 

Banho

A rotina de banho deve continuar. Se você já costuma dar banhos semanais ou quinzenais, mantenha-os. Mas, não se esqueça de dar banho com a água mais quentinha, para evitar resfriados.

Também tente fazer o banho mais rápido: quanto menor o tempo que ele passar molhado, melhor!

 

 

 

 

Pelagem seca50 dos mais importantes gifs de cachorros de todos os tempos

Não deixe, em hipótese alguma, seu animal ficar molhado, tanto após o banho quanto após uma chuva. Ele deve ser seco, pois, caso contrário, pode se resfriar, ter hipotermia. Além disso, pelos molhados colaboram para o aparecimento de problemas de pele.

 

 

 

Tosas mais curtas

Cães e gatos de pelagem longa devem evitar fazer tosas curtas em época de frio. Entretanto, caso seja necessário fazer a tosa por qualquer motivo, deve-se passar a seguir as recomendações usadas por animais de pelos curtos. Roupinhas tornam-se indispensáveis! 🙂