Gato no calor: cuidados redobrados!

Os gatos possuem uma temperatura corporal mais alta que a dos humanos, podendo chegar a 39,2 graus. Ainda assim, eles sofrem muito com o clima mais quente. Os bichanos tem o corpo coberto de pelos (exceto gatos da raça Sphynx ou pelado canadense) que funciona como um casaco, tornando sofrida a relação desses bichinhos com o calor. O clima quente pode gerar falta de apetite, diarreia e até mesmo desmaios causados por uma queda de pressão. Por isso, são necessários cuidados especiais com esses bichinhos.

Gatos de pelos longos como o persa podem ser tosados, para aliviar a temperatura deles. A tosa geral (que retira todos os pelos) pode causar desconforto aos felinos. Por isso, é recomendado que seja feita apenas uma redução no volume dos pelos.

img9 img3

Atenção! Gatos sem pelos, como da raça Sphynx, também sofrem muito com o calor. É essencial o uso de protetor solar para proteger a pele deles, que costuma ser muito sensível. Existem bloqueadores solares especificamente veterinários, pois o uso de produtos para humanos pode gerar alergia nesses animais.

blog3

Gatos da raça Sphynx ou Pelado Canadense

É muito importante estimular os gatos a beberem água. Gatos são muito tendenciosos a problemas renais, portanto a ingestão de grandes quantidades de água é fundamental para manter a saúde deles. Para estimulá-los a beber água, deixe água fresca à disposição o dia inteiro. Prefira recipientes de barro ou vidro, que mantenham a temperatura da água mais baixa. Conforme dissemos no post sobre a seca, muitos gatos gostam de beber água em movimento. Portanto, é interessante providenciar uma fonte, um bebedour específico que mantenha a água corrente ou até mesmo um fiozinho d’água em uma torneira.

blog1

Os banhos são mais indicados para gatos de pelo longo, que podem acumular nós e, pela quantidade de pelos, terem mais dificuldade de se limpar. Mas é ideal que os pelos sejam escovados pelo menos uma vez por dia, para remover os pelos que caem e evitar que eles engulam uma quantidade muito grande de pelos ao se lamberem.

blog4

Assim como os humanos, os gatos comem menos no clima quente. Mantenha a ração crocante e fresca, não enchendo muito o pote para que ela não perca o cheiro. Assim, os gatos permanecem interessados por ela. É importante também guardar a ração em algum lugar fechado, fresco e limpo, para que os grãos não oxidem nem fiquem com um aspecto e cheiro de velhos.

Em breve, um post sobre os cuidados com seu cãozinho no calor! 😉

A erva do gato – mitos e verdades

O nome científico  dela é nepeta cataria, popularmente conhecida como erva do gato, erva-gato ou catnip (em inglês). Muitas pessoas, por não conhecerem muito sobre essa planta, acabam fazendo um mau julgamento dessa plantinha, mas na verdade ela é amplamente recomendada pelos especialistas.

blog4

A ERVA DO GATO VICIA? Não. Muitos especialistas usam e recomendam o uso de erva do gato justamente por não ser viciante e não provocar efeitos colaterais. O que dá o efeito estimulante é o cheiro da Neptalactone, substância presente nas folhas da erva-gato. Nenhuma quantidade dessa substância fica armazenada no corpo do gato e, portanto, eles não ficam dependentes dela.

A ERVA DO GATO É EQUIVALENTE A UMA DROGA? Não. A erva do gato tem efeito calmante e terapêutico. Ela não apresenta nenhum efeito tóxico. É um produto natural e saudável.

O QUE A ERVA DO GATO CAUSA? A Neptalactone, substância presente nas folhas da erva, estimula os receptores olfativos. É comum encontrar as folhas da erva desidratadas e moídas, de modo a manter o cheiro da substância. Você pode também encontrar sprays com a fragância da erva, que também funcionam da mesma maneira.

QUANDO O USO DA ERVA DO GATO É RECOMENDADO? Para disciplinar ou divertir. Por exemplo, é comum que seja aplicada a erva do gato no arranhador ou no poste de arranhar, para que o gato se atraia pelo cheiro e evite destruir móveis e cortinas. Muita gente gosta de aplicar a erva em brinquedos, para que o gato desenvolva uma afeição por determinados objetos. Também é feita a aplicação em camas e almofadas, para que o gato entenda que ali é onde ele pode dormir.

POR QUE A ERVA DO GATO NÃO FAZ EFEITO NO MEU GATO? Os gatos tem características individuais e preferências tão diferentes quanto pessoas. A erva do gato tem mais probabilidade de fazer efeito em gatos machos, adultos, não-castrados. Mas não é uma regra absoluta e muitas fêmeas, filhotes e gatos(as) castrados(as) apresentam uma afeição pela plantinha. O único modo de saber é testar comprando um brinquedo com catnip ou utilizar a própria planta ou um spray. Um efeito parecido pode ser obtido com o cheiro de hortelã, manjericão e azeitona. Mas atenção: a ingestão desses produtos não é aconselhada para gatos, pois pode causar diarreia e outros problemas gástricos.

giphy

CHEGA DE LAMBIDAS!

giphy3

Cachorros lambem para provar o sabor das coisas, para limpar as partes de seu corpo e de seus filhotes e para demonstrar afeto. Com certeza você já ouviu dizer que a lambida é o “beijo” canino. Mas alguns cães desenvolvem a chamada COMPULSÃO POR LAMBEDURA. Esse problema pode ser físico (nutricional, hormonal, etc.) ou comportamental. Um médico veterinário deve ser consultado para fazer o diagnóstico correto.

Caso o problema seja comportamental, é preciso ver o que desencadeou essa compulsão. Algo que tenha alterado a rotina do cão: chegada de um novo bicho em casa, nascimento de um bebê, falecimento de um familiar, mudança de casa, redução no número de passeios, etc. É preciso que o tratamento seja direcionado a partir dessa identificação do problema. Muitas vezes, é aconselhado que seja feita uma repreensão do comportamento (ATENÇÃO! Toda repreensão deve ser feita sem violência. Agressão a animais de qualquer espécie é crime!).

O aumento nas atividades do cão e a compra de brinquedos inteligentes, que exijam a atenção e concentração, também pode ajudar a extravasar o estresse e distrair o cão da compulsão.

giphy

FERIDAS NA PELE

Compulsão por lambedura não é brincadeira! Exige muita atenção e cuidado desde o início, pois pode gerar uma dermatite por lambedura. São feridas causadas por uma inflamação que a saliva e o atrito constante da língua com a pele proporcionam. Essas feridas podem ficar extremamente graves e doloridas e por isso devem ser tratadas o mais rápido possível. Inclusive, a reprodução de células para recuperação da pele pode aumentar as chances de câncer de pele.

OBSERVAÇÃO: ESSE ARTIGO NÃO SUBSTITUI A CONSULTA AO VETERINÁRIO. EM CASO DE QUALQUER ALTERAÇÃO COMPORTAMENTAL, UM PROFISSIONAL CAPACITADO DEVE SER CONSULTADO.

giphy2

SIM, É POSSÍVEL CRIAR CACHORROS E GATOS JUNTOS!

giphy

Uma dúvida muito comum entre os criadores de pets é se cães e gatos podem conviver normalmente. Mas isso depende muito do temperamento dos dois e do modo como são introduzidos na vida um do outro.

A teoria de que cães e gatos não se dão muito bem não é infundada, mas também não se aplica a todas as situações. De fato, o cães tem temperamento agitado e estabanado, que pode irritar o temperamento calmo e contido de alguns gatos. Além disso, cachorros gostam de perseguir coisas que se movem rapidamente, e um gato assustado pode parecer para eles um divertidíssimo brinquedo.

É muito aconselhado que o novo membro da família seja um filhote, porque há mais chance de se adaptar mais facilmente à hierarquia da casa. O filhote crescerá sabendo que papel ocupa e que objetos, lugares e limites ele deve respeitar para ter uma convivência pacífica.

giphy4

Se forem dois adultos, é aconselhado que sejam apresentados aos poucos. Inicialmente, pode ser necessário uma contensão física para os dois, para que não avancem um no outro. Deixar que eles se cheiram e se acostumem com a presença do outro é imprescindível. Além disso, também é necessário repreender qualquer comportamento agressivo, mas sem castigar severamente, para que eles não associem o outro animal ao castigo e tenham uma reação negativa à presença dele.

É muito importante que os bichos não estejam estressados nem se sentindo ameaçad0s ou preteridos. Para essa relação ter sucesso é necessário que cada um entenda bem como respeitar os limites do outro.

Portanto, sim é possível que cães e gatos vivam juntos em perfeita harmonia, se forem inseridos um na vida do outro com calma. Lembre-se: tudo tem seu tempo! Basta ter paciência e dedicação para fazer dar certo.

giphy2

Quero adotar um bichinho. E agora?

Antes de pensar em adotar um animal de estimação, você deve se lembrar de algumas questões muito importantes. Abaixo, listamos alguns assuntos sobre os quais você deve refletir antes de tomar qualquer decisão.

 

Idade

Com o avanço da Medicina Veterinária, os animais têm vivido cada vez mais. Alguns tamanhos e raças de cães e gatos vivem por volta de 20 anos. Então, você deve refletir: com que idade estarei daqui 20 anos? Como estará minha vida em 20 anos? Haverá espaço para cuidar um bicho velhinho?

Dinheiro

Além  de ração, vacinas,castração, banho, tosa, cama, comedouros, guia, coleira, arranhadores, brinquedos e toda a estrutura, sempre haverá alguma emergência. Você terá como lidar financeiramente com qualquer tipo de gasto que esse animal venha a ter?

Tempo

Seu animal precisará de uma dedicação de tempo diariamente. Ele precisa de atenção, conversa, brincadeira, carinho. Precisa ser alimentado. Precisa que seu comedouro e bebedouro sejam lavados todos os dias. Precisa que seu ambiente seja limpo, e seu pelo seja cuidado. Precisa passear e conhecer outras pessoas e animais. Você tem tempo para isso?

Viagens

Você viaja muito? Com quem vai deixá-lo? Tem dinheiro para levá-lo com você? Tem dinheiro para bancar um hotel para ele?

Paciência

Qualquer animal que você adotar precisará de um período de adaptação às regras de sua casa. Se for filhote, precisará de ainda mais paciência de sua parte, pois terá um comportamento muito infantil e viverá tentando criar as próprias regras. Você está pronto para isso?

Família

As pessoas que moram com você concordam com a sua decisão de adicionar um membro à sua família? Isso deve ser discutido à exaustão, para que todos entrem em um consenso sobre as regras que o animal deverá seguir e espaços que poderá frequentar.

Conhecimento

Você sabe o suficiente sobre a espécie que você está adotando? Tem lido bastante sobre ela? Tem conversado com quem sabe mais que você, buscando novas informações?

Toda essa preparação deverá ser feita com muito carinho e dedicação. Animais não são objetos, e você não pode se desfazer deles como faria com um móvel velho.

Adotar um animal é um gesto de amor. Mas é, sobretudo, um gesto de responsabilidade.

Ih! Ele fez xixi no chão!

Esse é um assunto muito delicado, pois muitas famílias reclamam disso: Xixi e Cocô pela casa. Há algumas coisas sobre esse assunto que devem ser conhecidas por quem tem um cachorrinho em casa.

 

Filhotes

giphy3

Os filhotes não conseguem se controlar e fazem xixi e cocô no chão. São como os bebês humanos, ainda não aprenderam a treinar os músculos responsáveis por segurar o xixi e o cocô. Por isso, não devemos jamais dar bronca em um neném de cachorro por fazer xixi no lugar errado. Com o tempo, eles vão aprender – por achar desagradável viver em um local com seus próprios detritos – que não deve urinar nem defecar em casa. Ele vai escolher um local pra ser o “banheiro” dele. Você pode ajuda-lo nessa escolha.

 

Para chamar atenção

giphy2

Há uma situação que também pode causar desconforto à família: o cachorro pode fazer xixi ou cocô pela casa para chamar atenção. Isso acontece porque o comportamento dos cães é baseado em reforços positivos de comportamento.

Digamos que você saia e passe o dia fora, trabalhando ou estudando. Enquanto você está na rua, o cachorro está sozinho em casa. Quando você chega, tudo o que você quer é um pouco de descanso, mas tudo o que o cachorro quer é atenção. Se você não o der atenção por bem, vai ter que dar por mal: ele vai lá e faz cocô bem no meio da sala, e você grita “Cachorro! Não faça isso no meio da sala! Quantas vezes terei que dizer?”

E pronto! Você deu atenção pra ele. Não é a atenção ideal, mas pelo menos você deu atenção! Assim ele aprende que sempre que quiser atenção, deve urinar ou defecar na sala.

 Marcação de Território

giphy4

A marcação de território é feita, usualmente, com urina por cães e gatos machos. Isso não é algo que eles possam controlar, ou que possa ser corrigido com adestramento. Marcar território é uma necessidade fisiológica.

A “ideia” por trás da marcação é a seguinte: “Esse território é meu e esses humanos são meus. Vou fazer xixi pois assim deixo o meu cheiro espalhado, e qualquer um que venha a esse território saberá que eu vivo aqui, e é tudo meu.”

Se há machos (caninos, humanos ou felinos) dividindo a mesma casa, sempre haverá competição territorial. Se vocês estão em um passeio e seu animal sente o cheiro da urina de outro, ele precisa competir por aquele território e vai urinar por cima do cheiro do outro. Se ele já marcou território em sua casa inteira, ele vai recomeçar o serviço até garantir que o cheiro não evapore nem seja esquecido.

A única solução conhecida para que os cães, gatos e famílias não sofram com essa necessidade fisiológica é a castração precoce.

Produtos de limpeza

giphy5

Quando nossos pets aprendem a controlar o xixi e o cocô, eles logo buscam um local da casa para tratar como “banheiro”. Os detritos dos animais deixam cheiro de algumas substâncias que os fazem voltar lá quando der vontade de urinar ou defecar novamente, criando, assim, um território marcado por cheiros. Assim, se ficar o cheiro de xixi ou de cocô em algum local, em sua sala, por exemplo,  certamente ele irá fazer nesse local de novo. Portanto, a limpeza é fundamental.

Limpar o cocô e o xixi é fundamental para impedir a criação de novos “banheiros” dentro de sua casa. Como nossos pets conseguem sentir cheiros até cem vezes mais que nós humanos, eles  podem facilmente sentir os cheiros de urina e de fezes que foram retirados com produtos de limpeza convencionais, como por exemplo os produtos que limpam carpetes, tapetes, ou quaisquer produtos que contenham amônia.

Esses que contêm Amônia, então, pioram tudo! Os bichinhos ficam confusos, pois o cheiro de amônia os estimula a fazer xixi naquele lugar. Ou seja, você limpa para que ele não faça mais xixi no lugar, mas limpa com um produto que o atrai para lá. Entendeu a confusão?

Se o local não for limpo adequadamente, as reincidências de fezes e urina vão continuar! Pra você o local pode estar limpo, mas o seu pet ainda consegue sentir o cheiro.

É interessante limpar o lugar com papel toalha, pois não precisa lavar e vai direto pro lixo. Na seqüência, limpe com um produto inofensivo para animais domésticos (nos pets existem boas opções), que evitem alergias e outras complicações causadas pelos produtos de limpeza comuns. Esqueça os multi-usos e amoníacos.

Espere secar bem o ambiente para deixar o cão no local novamente.

 

Tosar ou não tosar? Eis a questão.

Por que tosar?

Levar nossos bichinhos ao Pet Shop para fazer tosa não é apenas questão de estética. Tosa é coisa séria e, mesmo que às vezes comparemos ao corte de cabelo estético que fazemos em seres humanos, a função da tosa não é apenas essa. A tosa dos nossos pets é também uma questão de higiene e saúde – tanto para o animal, quanto para o ser humano que convive com ele.

O excesso de pelos sem o devido cuidado pode gerar vários problemas, dentre eles os famosos nós na pelagem. Esses nós, além de serem muito feios, são nocivos à saúde dele. Gera acúmulo de sujeira e de pele morta, abrindo portas para problemas relacionados a fungos, bactérias e parasitas em geral.

Cães e Gatos podem ser tosados. Embora seja muito mais comum entre os caninos, alguma vezes precisamos fazer um nossos gatinhos a tosa higiênica, ou mesmo encurtar bastante os pelos.

 

 Que tipo de tosas devo conhecer?

Ao levar seu bichinho no Pet Shop, o ideal é que você saiba um pouquinho sobre os tipos de tosa, para conseguir se comunicar bem com o atendente, e para que a tosa fique exatamente como espera.

A Tosa Higiênica, por exemplo, é indicada para todas as raças peludinhas. Esse tipo de tosa visa, sobretudo, a limpeza de partes específicas do cachorro: são tosados os pelos da região genital, anal e das patas. Para cachorros machos, também são aparados os pelos da barriga. Essa tosa tem como objetivo evitar o acúmulo de sujeira e excrementos nas partes mais sensíveis.

Como as demais tosas, essa deve ser feita por um profissional capacitado. Ele analisará as características da pelagem do cão e fará a tosa no comprimento correto para cada região, fazendo uso dos equipamentos corretos.

Tosa Higiênica sendo feita

 

Há, sim, um lado estético nas demais tosas, mas devem ser respeitados aspectos relacionados à saúde do seu animal.

Por exemplo, nas diversas Tosas na Máquina, o equipamento (diferente da máquina de corte de cabelo) é passado pelo corpo do animal. A direção em que é passada (contra ou a favor do pelo) depende do efeito que é visado alcançar com a tosa. Há uma lâmina adequada para cada raça e para cada tipo de pelagem e para cada efeito na pelagem.

Quando você leva ao Pet Shop um animal com os pelos embolados, dependendo da gravidade desses nós, a indicação é a tosa geral. Quanto mais próximos da pele estejam os nós, mais baixa ficará essa tosa. Alguns acabamentos podem ser feitos na tesoura, mas isso fica a critério do Tosador.

Tosa na Máquina

 Na Tosa de Tesoura, conhecida também pelo termo em inglês Grooming, não se faz uso da máquina de tosa. É um tipo de tosa bem mais voltada à estética. Necessita de alta qualificação e experiência, por isso tende a ser mais cara.

Esse tipo de tosa pode ser feito em qualquer raça com pelagem média a longa, desde que os pelos estejam bem cuidados e escovados. A tosa na tesoura demora muito mais do que à máquina, porém o acabamento dos pelos costuma ficar mais suave e natural.

A tosa na tesoura é também recomendada para os pets que tenham alergia às lâminas das máquinas.

Tosa na Tesoura

 

Por mais que pareça fácil, tosar os pelos do seu cachorro ou gato exige mais cuidados do que o banho, por exemplo, que pode ser feito em casa. Você pode machucar gravemente o seu bichinho por falta de habilidade com a tesoura ou com a máquina.

Recomendamos que a tosa seja feita por profissionais treinados, que tenham conhecimento e estejam acostumados com o correto manuseio dos materiais, tendo atenção redobrada quando a tosa for a higiênica, já que é feita nas partes mais delicadas do corpo do animal.

ATENÇÃO: Esse conteúdo é meramente informativo e não substitui a consulta a um(a) Médico(a) Veterinário(a).

Meu cão tem medo de fogos de artifício

Fonte da Imagem: http://www.anda.jor.br

 

Fogos assustam cães?

É de conhecimento de todos que muitos cães sofrem em datas comemorativas, devido ao medo dos fogos de artifício.

O que pouca gente sabe é que isso é potencialmente perigoso para eles e para a família. Isso porque, quando apavorados com o barulho, alguns animais perdem o controle sobre o próprio comportamento: tremem, choram, latem, tentam se esconder, urinam defecam. Algumas vezes, entram em lugares perigosos, derrubam móveis sobre si, se jogam pela janela, fogem por qualquer fresta, mordem seus companheiros animais e, às vezes, até seus donos.

Por que eles têm tanto medo?

Ao contrário do que muitos pensam, essa reação não é uma resposta a uma possível dor no ouvido causada pelo barulho dos fogos. Caso o barulho seja muito próximo, algo como a um metro do animal, poderia-se acreditar em dor no ouvido. Entretanto, o ouvido do cão é preparado, inclusive para barulhos muito altos. O motivo de tanto pavor é o instinto. Como todo animal, os cães têm um instinto de auto-preservação muito forte. Quando escutam barulhos muito altos e irregulares, sem identificar de onde vem, eles se sentem ameaçados e compelidos a fugir ou se esconder da ameaça.

Como posso ajudá-lo?

É necessário ofertar uma situação realmente segura para seu cão em caso de disparo de fogos de artifício. Isso significa que janelas e portas devem permanecer trancadas. Além disso é ideal ter um lugar onde seu animal possa se esconder. Alguns escolhem se esconder embaixo da cama, em cantos, embaixo de cobertas e até mesmo na casinha.

DicaOca: Você pode forrar a casinha ou a caixa de transporte do seu animal com aquela espuma usada nas paredes de estúdio musical (isolamento acústico). Se você habituá-lo a ficar lá dentro alguns minutos todos os dias, ele logo entenderá que lá dentro faz menos barulho que lá fora. Assim, quando houver queima de fogos por perto da sua casa, ele saberá que sua casinha é o local mais seguro e agradável.

 Procure um(a) Médico(a) Veterinário(a)

Em casos muito graves de medo por causa dos fogos, o ideal é procurar um(a) Médico(a) Veterinário(a). Talvez o caso do seu animal seja muito grave, e ele pode precisar de algum medicamento ansiolítico. Peça que sejam feitos todos os exames, para se certificar de encontrar a droga adequada para as peculiaridades metabólicas do seu animal.

 

10 Motivos para Adotar!

Muitas pessoas falam conosco sobre a vontade de ter um bichinho, e ficam em dúvida sobre comprar ou adotar.

Perguntamos aos amigos da Oca que já adotara sobre as principais vantagens de ter um vira-latas em casa.

Separamos aqui 10 motivos mais repetidos para você adotar um cão ou gato de rua:

  1. É um ato de respeito à vida.
  2. Ajuda a controlar o crescimento populacional de animais abandonados.
  3. Ajuda sua comunidade no controle de zoonoses (doenças transmitidas pelos animais aos seres-humanos).
  4. Diminui os risco desse animal sofrer maus-tratos e/ou acidentes.
  5. Pratica e ensina às pessoas à sua volta sobre dar valor a QUEM você é, e não QUANTO você vale.
  6. Tem um animal com aparência exclusiva, pois os SRD (Sem Raça Definida) não possuem um “Padrão da Raça”.
  7. Pode arranjar um nome super divertido que combine com a cara dele!
  8. Haverá, para sempre, uma história romântica sobre o encontro de vocês.
  9. Terá sob sua responsabilidade um animal que passou pela Seleção Natural!!!!*
  10. Ganha um amigo leal para toda  a vida, e aprende sobre amor incondicional!

Se você não vira a cara, ele não vira-lata!

 

*O cruzamento de animais “de raça” segue regras que envolvem temperamento, alguns aspectos da saúde e, sobretudo, aparência. Entretanto nem toda reprodução de animais “de raça” é assistida por um Médico Veterinário que dê o aval sobre a saúde e qualidade genética dos pais.  Sendo assim, muitos filhotes podem vir com aparência satisfatória para aquela raça, e trazerem consigo algum gene responsável por problemas de saúde. Esse tipo de problema não ocorre com os SRD! Segundo a Teoria de Darwin, naturalmente sobrevivem os mais adaptados. O cruzamento de SRD é feito com a maior fiscal de qualidade genética possível: a Mãe Natureza!! 😀 Sendo assim, de forma bem comum, os filhotes que sobrevivem a uma gestação e lactação em situação de abandono costumam ser muito bem adaptados a esse mundo!! 🙂